segunda-feira, Outubro 30, 2006

Onde o Kwanza encontra o Atlântico

O rio Kwanza é um dos principais rios de Angola, pela sua dimensão, caudal e contributo económico. O nome do rio deu iguamente nome à moeda nacional - o Kwanza.

É um spot obrigatório no circuito de qualquer pescador, pela sua riqueza em fauna marítima.

E o lugar de eleição do rio, é a sua foz. Mesmo no bico, onde as águas nem se misturam completamente, onde se distingue a água doce da salgada, ou a temperatura das duas águas. Não sabemos se é esta envolvente que também encanta os peixes, mas é mesmo lá que normalmente é mais fácil ser bem sucedido na pescaria.

O acesso é feito de todo o terreno por uma língua de areias claras não muito extensa. De uma lado o rio e do outro o mar. Nesse dia fomos ainda brindados por um bando de uns 15 golfinhos que brincava e saltitava a não mais de 30 metros da costa. Realmente há que admitir que não é em todo o lado que se pode admirar tamanha fortuna.

Tirámos algumas fotos mas que, como sempre, não captam a grandeza da paisagem que só o olhar é capaz de gravar.

Na margem norte do rio há uma estalagem recente, com uns bungalows em madeira, muito bem enquadrados paisagisticamente, com possibilidade de se alugar um barco para subir o rio. Pode ser uma óptima solução para um fim de semana tranquilo e em família. Cada vez mais oferta e possibilidades.

O balanço do dia em pesca é que foi um pouco monótono, 8 bagres. Por desconhecimento ou amadorismo, só conhecemos uma utilização para o bagre, seco, para fazer o famoso Kalulu. Ora não sendo nós apreciadores, ficaram a rir os bagres que não percebendo bem o que lhes terá acontecido, regressaram com vida à água.

2 Comments:

At 4:52 da tarde, Blogger Fernando said...

Olá amigos.
Antes de mais, obrigado pelo voto de confiança de me franquearem o acesso ao vosso blog.
Como já vos transmiti via mail, li-o de uma ponta à outra sem conseguir "descolar". Acho importante, e ainda mais para mim que vivo em Portugal mas com o coração angolano, que quem aí estános dê a conhecer o dia a dia do país. Claro que nos maravilhamos com as imagens que nos enviam e nos descrevem mas, e dado que infelizmente a Angola actual não é só beleza natural (antes fosse) é importante fazerem-nos chegar as verdades do dia a dia: A falta de luz, de água, os geradores nas varandas, etc.
Que percorre a blogosfera e a internet em geral só encontra dois tipos de referência a Angola: beleza natural, macroeconomia e política: governo, corrupção, compadrios, etc.
Quem está fora sacia a sua sede de notícias com imagens como as que vocês enviam: os restaurantes que frequentam, os sítios onde vão, o ginásio, o emprego, etc.
Continuem, terão em mim sempre um leitor atento e expectante por mais posts.
Um beijinho e um abraço para vocês, meus novos amigos.

 
At 4:52 da tarde, Blogger Fernando said...

Olá amigos.
Antes de mais, obrigado pelo voto de confiança de me franquearem o acesso ao vosso blog.
Como já vos transmiti via mail, li-o de uma ponta à outra sem conseguir "descolar". Acho importante, e ainda mais para mim que vivo em Portugal mas com o coração angolano, que quem aí estános dê a conhecer o dia a dia do país. Claro que nos maravilhamos com as imagens que nos enviam e nos descrevem mas, e dado que infelizmente a Angola actual não é só beleza natural (antes fosse) é importante fazerem-nos chegar as verdades do dia a dia: A falta de luz, de água, os geradores nas varandas, etc.
Que percorre a blogosfera e a internet em geral só encontra dois tipos de referência a Angola: beleza natural, macroeconomia e política: governo, corrupção, compadrios, etc.
Quem está fora sacia a sua sede de notícias com imagens como as que vocês enviam: os restaurantes que frequentam, os sítios onde vão, o ginásio, o emprego, etc.
Continuem, terão em mim sempre um leitor atento e expectante por mais posts.
Um beijinho e um abraço para vocês, meus novos amigos.

 

Enviar um comentário

<< Home

Site Feed